Quarta-Feira, 17 / 09 / 2014
orapto.com.br

Cadastrar-se

Receba nossas novidades em seu email.

Nome:

Email:

A COLUNA DE FOGO

E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho,

e de noite numa COLUNA DE FOGO para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite.

Êxodo 13:21

Esta surpreendente fotografia do Irmão Branham foi tirada sob a lente do Sr. James Ayers, em 24 de janeiro de 1950, no Coliseu Sam Houston, Houston, Texas, EUA. O Sr. Ayers era profissional do conceituado Douglas Studios e da Associação Americana de Fotógrafos. Quando os fotógrafos, Sr. James Ayers e Sr. Theodore Kipperman, revelaram as fotos, assustaram-se ao perceber que tão-somente esta foto havia sido captada pela câmara, e que as demais ficaram “queimadas” e inutilizadas. Supressa maior ao encontrarem a evidência de uma luz acima da cabeça do Reverendo Branham. Nunca haviam visto algo similar e ambos não conseguiram entender a presença desta auréola. Impressionados, no dia seguinte entraram em contato com o Irmão Branham através do grupo de irmãos que o acompanhava. Foi-lhes então explicado que fotos semelhantes a esta haviam sido capturadas antes, mas nunca a Luz havia ficado tão bem definida como nesta foto. O Sr. James Ayers levou a fotografia diretamente ao irmão William Branham a fim de mostrá-lo.

Em seguida, levaram o negativo ao Sr. George J. Lacy, Examinador de Documentos Questionáveis com atuação junto ao FBI (Órgão Federal de Investigações dos EUA), para averiguar se a luz sobre a cabeça do Irmão Branham poderia ser resultado de exposição indevida, revelação ou retoque. O Sr. Lacy concordou em examinar o negativo e então apresentar seu parecer científico.

Na hora marcada, quando ele deveria terminar sua investigação e expor suas conclusões, ele entrou na sala de espera onde os que acompanhavam o Irmão Branham, jornalistas e outros, aguardavam. Ao entrar, perguntou quem era William Branham. O Irmão Branham se pôs em pé e se identificou. O Sr. Lacy disse: “Reverendo Branham, o senhor morrerá como todos os outros mortais, mas enquanto houver uma civilização, a sua foto perdurará.”

Abaixo, descrevemos a íntegra do laudo e do parecer do Sr. George Lacy:

=======================================

George J. Lacy

Investigador de Documentos Questionáveis

Edifício Shell

Houston, Texas

29 de Janeiro de 1950

R E L A T O E O P N I Ã O

Assunto: Negativo Questionado.

Em 28 de Janeiro de 1950, a pedido do Reverendo Gordon Lindsay, que representava o Reverendo William Branham de Jeffersonville, Indiana, recebi do Douglas Studios à avenida Rusk, 1610, nesta cidade, um filme fotográfico exposto e revelado em 10x13cm. Foi afirmado este filme ter sido tirado do Reverendo William Branham por Douglas Studios no Coliseu Sam Houton, nesta cidade, durante sua visita aqui no final de janeiro de 1950.

 

P E D I D O

O Reverendo Lindsay pediu que eu fizesse uma investigação científica do negativo acima mencionado. Pediu que eu determinasse, se possível, se em minha opnião o negativo havia sido “retocado”ou “adulterado” de alguma forma, subsequente à revelação do filme, que fizesse uma faixa de luz aparecer na posição de auréola acima da cabeça do Reverendo Branham.

 

I N V E S T I G A Ç Ã O

Uma investigação e exame macroscópico e microscópico foi realizado da superfície inteira de ambos os lados do filme, o qual era Easteman Kodak Safety Film. Ambos os lados do filme foram investigados sob luz ultravioleta filtrada e fotos sob luz infravermelha foram tiradas do filme.

A investigação microscópica não revelou retoques do filme em absolutamente nenhum local por qualquer processo usado em retoque comercial. Também, a investigação microscópica não revelou qualquer alteração de emulsão dentro ou em volta da faixa de luz em questão.

A investigação à luz ultravioleta não revelou qualquer material estranho, ou resultado de qualquer reação química em ambos os lados do negativo, o que poderia ter causado a faixa de luz, subsequente à revelação do negativo.

A foto infravermelha também não revelou qualquer coisa que indicasse algum retoque feito no filme. A investigação também não revelou qualquer coisa que indicasse que o negativo em questão foi composto ou teve dupla exposição. Nada foi encontrado que indicasse que a faixa de luz em questão foi feita no processo de revelação. Também, nada foi encontrado que indicasse que não foi revelado por procedimento normal e reconhecido. Nada foi encontrado nas densidades comparativas dos realces que não estivesse em harmonia.

 

O P N I Ã O

Baseado na investigação e exames acima descritos, sou da opnião conclusiva de que o negativo submetido para investigação não foi retocado, tampouco o negativo foi composto ou teve dupla exposição. Ademais, sou da opnião conclusiva de que a faixa de luz que aparece acima da cabeça, em posição de auréola, foi causada por luz que incidiu sobre o negativo.

Repeitosamente,

George J. Lacy.

=======================================

Acerca do episódio, o Irmão Branham fez o seguinte comentário:

“George J. Lacy, o chefe do FBI em assuntos de impressões digitais e documento, etc., um dos maiores que há em todo o mundo, trabalhou dois dias com o material obtido testando a câmara, luzes e tudo o mais. E quando viemos àquela tarde, ele disse:Reverendo Branham, eu também fui um crítico do senhor’. Ele disse: ‘E eu disse que era psicologia, foi dito que viram aquelas luzes e coisas assim’. E disse: ‘Sabe, o velho hipócrita dizia isso’ [ele quis dizer o incrédulo], ‘aquelas fotos em volta, aquela auréola em volta de Cristo, em volta dos santos’, ele disse: ‘Isso foi simplesmente psicologia’. Mas disse: ‘Reverendo Branham, o olho mecânico desta câmara não tira psicologia! A Luz bateu na lente, ou bateu no negativo, e aí estava Isso’.

Cremos que esta Luz, hoje, é aquela mesma Coluna de Fogo que guiou os filhos de Israel à Palestina, conforme se encontra registrado no Livro de Êxodo 13:21, e também a mesma Luz que se encontrou com Saulo no caminho para Damasco. Também podemos crer que se trata da mesma Coluna de Fogo (Anjo de Luz), que encontrou Pedro na prisão e foi adiante dele e abriu as portas da prisão e o pôs para fora, de acordo com os registros bíblicos em Atos 5:19.

Na foto ao lado, vê-se a mesma Coluna de Fogo, desta vez, sobre o ombro direito do Irmão Branham. Esta fotografia foi tirada na cidade de Dallas, Texas, em 1964.